Viver Goiás

Sabado, 21 de Maio de 2022

Notícias Cidades

Prefeitura investe em sistema automatizado para irrigação de praças

Prefeitura investe em sistema automatizado para irrigação de praças
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), tem buscado adaptar as praças da Capital ao sistema de irrigação automatizada. O sistema tem como objetivo garantir vitalidade às plantas durante todo o ano, sendo, também, uma alternativa que evita desperdícios, distribuindo a quantidade ideal de água para cada canteiro ou jardim das praças. 

O sistema, basicamente, consiste em três estruturas: a parte de captação de água, em que se tem o esquema de bombeamento, reservatórios e poços artesianos; a parte de aplicação da água onde estão as válvulas e emissores de água; e entre as duas estruturas, está a parte de controle e programação, onde temos sensores meteorológicos e controladores de irrigação. 

Um exemplo de sistemas de irrigação automatizada de áreas não agrícolas, como parques, praças, canteiros e jardins, são os presentes em campos de futebol, onde os aspersores emergem da grama e regam todo o gramado. 

Para se implantar um sistema de irrigação, o primeiro passo é a elaboração do projeto  por um engenheiro agrônomo ou  agrícola, definindo quais são os materiais adequados para a área a ser irrigada. A depender do tamanho do local, pode-se optar por  emissores do tipo rotor, ou no caso de canteiros ornamentais arbustivos,  lançar mão do uso de emissores gotejadores. 

Com o projeto em mãos, as equipes do departamento de Obras da Comurg abrem as valetas e aplicam o material no solo: tubos, aspersores, válvulas, sensores, fios, todos conectados. Em seguida, é feita a programação do controlador, definindo-se os dias da semana onde a irrigação será acionada, bem como o tempo de funcionamento.

O engenheiro agrônomo da Comurg Rafael Araújo Pacheco é o responsável pela implantação do sistema: "Em Goiânia, a irrigação automatizada de praças começou a ser utilizada em 1998. A utilização do sistema é a forma mais econômica de se aplicar água, seja pelo método de aplicação em si ou  pelos sensores meteorológicos que adequa automaticamente a programação de irrigação às condições climáticas momentâneas do local irrigado", concluiu.

Outra vantagem, se tratando de vias públicas, é a eliminação dos transtornos no trânsito, reduzindo a utilização de caminhões pipa. O sistema de irrigação automatizada é uma forma mais barata de se aplicar água, pagando-se o investimento com cerca de 8 meses de operação, tomando por base uma área de 5 mil metros quadrados.

A Comurg iniciou, também, um trabalho de avaliação dos poços e mini poços artesianos existentes em praças públicas. A ação busca identificar quais possuem vazões adequadas para a implantação de sistemas de irrigação automatizada. Após o resultado desse trabalho, será avaliada a perfuração de novos poços para a expansão do conceito.

O presidente da Comurg, Alex Gama, ressalta que investir em modernidade gera melhor qualidade de vida à população e economia aos cofres públicos. "Estamos atentos aos conceitos que possam estar à favor da população e ao encontro da nossa gestão.  O objetivo é gerar mais expressão aos projetos de paisagismo de menor consumo hídrico, bem como, no futuro, a implantação de sistemas de reuso de águas", disse Alex Gama. 

Rondinelli Dantas, da editoria de Urbanização

Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )