Viver Goiás

Sabado, 13 de Agosto de 2022

Notícias Entretenimento

Militante do movimento negro, Milton Gonçalves tentou ser governador

Militante do movimento negro, Milton Gonçalves tentou ser governador
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando
source
Milton Gonçalves tentou carreira política
Reprodução/ Viva

Milton Gonçalves tentou carreira política

Formado pelo Teatro de Arena de São Paulo, nos anos 1950, e um dos maiores nomes das artes cênicas brasileiras, Milton Gonçalves também dedicou parte da vida à atividade política e à militância no movimento negro. O ator morreu nesta segunda-feira (30), os 88 anos, em decorrência de problemas de saúde que vinha enfrentando desde que teve um AVC, em 2020.

Em 1994, chegou a concorrer a governador do Estado do Rio pelo então PMDB (atual MDB), quando obteve 278 mil votos, ou 4,52% do total das urnas — a eleição foi vencida pelo ex-prefeito Marcello Alencar (PSDB), que concorreu no segundo turno com Anthony Garotinho (PDT).

Em 2012, o ator também tentou outro pleito, mas dessa vez movido por uma paixão esportiva: o Flamengo. Milton concorreu como vice-presidente chapa de Ronaldo Gomlevsky, que estava entre as que faziam oposição à da então presidente Patricia Amorim.

O ator ocupou cargos públicos como a Superintendência Regional da RadioBrás Setor Sul (de 1985 a 1986) foi membro do Conselho de Cultura do Estado do Rio e do Conselho de Artes do Paço Imperial.

Em 2017, o ator foi anunciado como o novo presidente da Fundação Theatro Municipal do Rio, mas, duas semanas depois, foi exonerado pelo então secretário de estado de Cultura, André Lazaroni, que assumiu ele mesmo a presidência da casa. À época, a justificativa para a exoneração de Milton foi uma orientação do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República, do qual o ator era integrante. A secretaria executiva do Conselho indicou que a posse em cargos de direção em espaços culturais poderia configurar "conflito de interesse", devido ao "exercício de cargo de conselheiro".

+ Entre no canal do  iG Gente no Telegram e fique por dentro de todas as notícias sobre celebridades, reality shows e muito mais!

Em entrevista ao "Extra" em novembro de 2019, Milton abordou a falta de representatividade na política brasileira:

"O que me falta no meu Brasil, o que me deixaria alegre é que nós tivéssemos um presidente negro, porque nós somos um percentual grande neste país. No dia em que nós tivermos um presidente negro, aí eu vou dizer: nós batalhamos", afirmou o ator, na ocasião.

Fonte: IG GENTE
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )