Viver Goiás

Sexta-feira, 20 de Maio de 2022

Notícias Noticias

Sistema prisional já aplicou mais de 41 mil doses de vacina

Sistema prisional já aplicou mais de 41 mil doses de vacina
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Goiás está entre os estados que mais vacinaram a população carcerária e servidores do sistema penitenciário. Segundo dados da Gerência de Assistência Biopsicossocial da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), 19.860 presos foram vacinados com a primeira dose da vacina contra a covid-19, o que equivale a mais de 93% da população carcerária do Estado. Ao todo, 13.406 custodiados já tomaram a segunda dose, o que significa que 63% dos custodiados completaram o ciclo vacinal.

De acordo com levantamento Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas (DMF), que pertence ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Goiás ocupa a 7ª posição no ranking dos estados que mais vacinaram a população carcerária. O relatório mostra que somente São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Minas Gerais, Santa Catarina e Paraná estão à frente de Goiás no total de doses aplicadas.

As estatísticas de vacinação dos servidores também são positivas: 4.113 foram vacinados com a primeira dose e 3.924 tomaram a segunda dose. Isso significa que mais de 91% do efetivo completou o ciclo vacinal com as duas doses. O levantamento dos DMF aponta que Goiás é o segundo estado que mais vacinou servidores com a segunda dose, ficando atrás apenas de São Paulo. No número total de doses aplicadas em servidores, Goiás fica em quinto lugar.

O diretor-geral de Administração Penitenciária, Josimar Pires, afirma que o avanço na vacinação dentro do sistema penitenciário é resultado de uma união de esforços. "Nossas equipes trabalham para garantir o maior número de custodiados e servidores vacinados. Esta é uma prioridade porque sabemos que a imunização é a forma mais eficaz de controlar os casos de covid-19 dentro das unidades prisionais".

A campanha de vacinação avança no sistema penitenciário goiano a partir da interlocução da equipe da Gerência de Assistência Biopsicossocial e da direção das unidades prisionais com as secretarias de Saúde, que são responsáveis pela aplicação das doses que chegam ao Estado e aos municípios.

Pioneiro

O sistema penitenciário goiano foi um dos primeiros do País a vacinar os seus servidores. "Desde o início contamos com o apoio do governador Ronaldo Caiado que lutou para colocar nossos policiais entre os grupos prioritários em reconhecimento à importância do nosso trabalho e a impossibilidade de pararmos nossas atividades mesmo diante de uma pandemia", relembra Josimar Pires.´

A inclusão das forças de segurança no grupo prioritário para vacinação contra a covid-19 foi aprovada pelo Centro de Operações de Emergência de Goiás (COE-GO) e determinada pelo Governo de Goiás por meio da Resolução n° 030/2021, publicada no Diário Oficial no dia 24 de março. Os primeiros agentes prisionais foram imunizados em 29 de março.

Prevenção

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, a DGAP tem adotado uma série de medidas para prevenir a contaminação nas unidades prisionais de todo o Estado. Foram realizados mais de 16.800 testes entre os servidores e presos em uma busca ativa de casos da covid-19. A testagem ampliada também coloca o sistema penitenciário goiano em destaque. Goiás é o sexto estado que mais testou servidores e presos, ficando atrás apenas de São Paulo, Rio Grande do Sul, Distrito Federal, Minas Gerais e Ceará.

Segundo Josimar Pires, o trabalho de prevenção e controle dos casos dentro das unidades prisionais é intenso e diário. "Sempre que um servidor ou preso apresenta sintomas, ele é testado e isolado. Todas as unidades prisionais seguem as medidas de prevenção de forma rigorosa", disse o diretor-geral.

Outra ação de prevenção adotada pela DGAP é a desinfecção dos estabelecimentos penitenciários. O processo é realizado nas unidades prisionais, periodicamente, e segue os protocolos estabelecidos pelas autoridades de saúde. Para realizar esses procedimentos, foram adquiridos pulverizadores e insumos, que são usados na higienização das celas, áreas administrativas e embalagens dos produtos levados por familiares aos presos. A desinfecção de viaturas também é realizada sempre que acontece o transporte de algum detento.

A DGAP também passou a fazer a triagem e a quarentena dos presos que ingressam no sistema. Para isso, foram criadas unidades de triagem. Todo preso que é encaminhado pelas polícias Militar ou Civil para o Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, por exemplo, permanece um período de quarenta na Colônia Agroindustrial do Regime Semiaberto, até que se comprove que ele não está contaminado. As unidades prisionais do interior seguem o mesmo procedimento.

O sistema penitenciário goiano registrou 880 casos de covid-19 entre servidores e 2.980 entre os presos. No boletim dessa terça-feira (28/12), não há nenhum caso ativo entre os custodiados e apenas três servidores estão em recuperação. Todas as informações sobre a covid-19 são divulgadas diariamente no boletim, que é publicado nas redes sociais do órgão.

 

Fonte: Governo GO
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )