Revista Viver Goiás

Pandemia: Começa a valer nessa terça-feira, dia 30/06, o novo decreto do Estado de Goiás. Veja o que pode abrir.

Serão 14 (quatorze) dias de suspensão seguidos por 14 (quatorze) dias de funcionamento, sucessivamente.

Começa a valer nessa terça-feira, dia 30/06, o novo decreto do Estado de Goiás para enfrentamento do novo Coronavírus. A partir desta data, o Estado de Goiás adota o sistema de revezamento das atividades econômicas organizadas para a produção ou a circulação de bens ou de serviços, iniciando-se com 14 (quatorze) dias de suspensão seguidos por 14 (quatorze) dias de funcionamento, sucessivamente.


ATIVIDADES ESSENCIAIS, QUE NÃO SE INCLUEM NO REVEZAMENTO: 


Farmácias, clínicas de vacinação, laboratórios de análises clínicas e estabelecimentos de saúde;
Cemitérios e serviços funerários;
Distribuidores e revendedores de gás, bem como supermercados e congêneres.
Postos de combustíveis;
Hospitais e clínicas veterinárias, incluindo casas que vendem insumos aos animais de estimação, bem como estabelecimentos comerciais que atuem na venda de produtos agropecuários;
Agências bancárias e casas lotéricas;
Produtores e/ou fornecedores de bens ou de serviços essenciais à saúde, à higiene e à alimentação;
Serviços de call center restritos às áreas de segurança, alimentação, saúde e de utilidade pública;
Atividades econômicas de informação e comunicação;
Segurança privada;
Empresas de transporte coletivo e privado, incluindo as empresas de aplicativos e transportadoras;
Empresas de saneamento, energia elétrica e telecomunicações;
Hotéis e correlatos, desde que para abrigar aqueles que estejam atuando na prestação de serviços públicos ou privados considerados essenciais ou para fins de tratamento de saúde, devendo ser respeitado o limite de 65% da capacidade de acomodação;
Assistência social e atendimento à população em estado de vulnerabilidade;
Obras da construção civil de infraestrutura do poder público, de interesse social, penitenciárias e unidades do sistema socioeducativo, bem como as relacionadas a energia elétrica e saneamento básico e as hospitalares, além dos estabelecimentos comerciais e industriais que lhes forneçam os respectivos insumos;
Atividades comerciais e de prestação de serviço mediante entrega (delivery);

Atividades destinadas à manutenção, à conservação do patrimônio e ao controle de pragas urbanas;
O transporte aéreo e rodoviário de cargas e passageiros, observados os protocolos estabelecidos pela @SESgoias;
Estágios, internatos e atividades laboratoriais das áreas de saúde.


Lembrando que todas essas atividades devem seguir os padrões exigidos pela Secretaria de Estado de Saúde.


As atividades de ordem religiosa, como missas e cultos, bem como todas as atividades econômicas e não econômicas poderão retomar seu funcionamento após o período de 14 dias, seguindo os protocolos exigidos pela Secretaria de Estado de Saúde.


ATIVIDADES QUE NÃO PODEM FUNCIONAR 


Todos os eventos públicos e privados de quaisquer natureza, desde reuniões de condomínio a academias;
Aulas presenciais de instituições de ensino público e privadas;
Cinemas, teatros, casas de espetáculo e congêneres, bem como bares, boates e festas;


 ATENÇÃO 
O descumprimento das regras estabelecidas no Decreto e nos protocolos específicos da Secretaria Estadual da Saúde poderá, mediante fiscalização das Vigilâncias Sanitárias estadual e municipais, ensejar multa e interdição dos estabelecimentos.


Nas repartições públicas, os serviços funcionarão, durante o período de suspensão, em regime de teletrabalho, com exceção de órgãos ou entidades que, por natureza desenvolvem atividades indispensáveis, como as unidades de saúde, segurança, assistência social e a GOINFRA. No período permitido, podem voltar ao trabalho cumprindo as medidas exigidas pela Secretaria de Saúde;


O Decreto entra em vigor a partir de amanhã (30 de junho de 2020).

Fonte

Governo de Goiás
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Pandemia: Começa a valer nessa terça-feira, dia 30/06, o novo decreto do Estado de Goiás. Veja o que pode abrir.

Governo de Goiás

Começa a valer nessa terça-feira, dia 30/06, o novo decreto do Estado de Goiás para enfrentamento do novo Coronavírus. A partir desta data, o Estado de Goiás adota o sistema de revezamento das atividades econômicas organizadas para a produção ou a circulação de bens ou de serviços, iniciando-se com 14 (quatorze) dias de suspensão seguidos por 14 (quatorze) dias de funcionamento, sucessivamente.


ATIVIDADES ESSENCIAIS, QUE NÃO SE INCLUEM NO REVEZAMENTO: 


Farmácias, clínicas de vacinação, laboratórios de análises clínicas e estabelecimentos de saúde;
Cemitérios e serviços funerários;
Distribuidores e revendedores de gás, bem como supermercados e congêneres.
Postos de combustíveis;
Hospitais e clínicas veterinárias, incluindo casas que vendem insumos aos animais de estimação, bem como estabelecimentos comerciais que atuem na venda de produtos agropecuários;
Agências bancárias e casas lotéricas;
Produtores e/ou fornecedores de bens ou de serviços essenciais à saúde, à higiene e à alimentação;
Serviços de call center restritos às áreas de segurança, alimentação, saúde e de utilidade pública;
Atividades econômicas de informação e comunicação;
Segurança privada;
Empresas de transporte coletivo e privado, incluindo as empresas de aplicativos e transportadoras;
Empresas de saneamento, energia elétrica e telecomunicações;
Hotéis e correlatos, desde que para abrigar aqueles que estejam atuando na prestação de serviços públicos ou privados considerados essenciais ou para fins de tratamento de saúde, devendo ser respeitado o limite de 65% da capacidade de acomodação;
Assistência social e atendimento à população em estado de vulnerabilidade;
Obras da construção civil de infraestrutura do poder público, de interesse social, penitenciárias e unidades do sistema socioeducativo, bem como as relacionadas a energia elétrica e saneamento básico e as hospitalares, além dos estabelecimentos comerciais e industriais que lhes forneçam os respectivos insumos;
Atividades comerciais e de prestação de serviço mediante entrega (delivery);

Atividades destinadas à manutenção, à conservação do patrimônio e ao controle de pragas urbanas;
O transporte aéreo e rodoviário de cargas e passageiros, observados os protocolos estabelecidos pela @SESgoias;
Estágios, internatos e atividades laboratoriais das áreas de saúde.


Lembrando que todas essas atividades devem seguir os padrões exigidos pela Secretaria de Estado de Saúde.


As atividades de ordem religiosa, como missas e cultos, bem como todas as atividades econômicas e não econômicas poderão retomar seu funcionamento após o período de 14 dias, seguindo os protocolos exigidos pela Secretaria de Estado de Saúde.


ATIVIDADES QUE NÃO PODEM FUNCIONAR 


Todos os eventos públicos e privados de quaisquer natureza, desde reuniões de condomínio a academias;
Aulas presenciais de instituições de ensino público e privadas;
Cinemas, teatros, casas de espetáculo e congêneres, bem como bares, boates e festas;


 ATENÇÃO 
O descumprimento das regras estabelecidas no Decreto e nos protocolos específicos da Secretaria Estadual da Saúde poderá, mediante fiscalização das Vigilâncias Sanitárias estadual e municipais, ensejar multa e interdição dos estabelecimentos.


Nas repartições públicas, os serviços funcionarão, durante o período de suspensão, em regime de teletrabalho, com exceção de órgãos ou entidades que, por natureza desenvolvem atividades indispensáveis, como as unidades de saúde, segurança, assistência social e a GOINFRA. No período permitido, podem voltar ao trabalho cumprindo as medidas exigidas pela Secretaria de Saúde;


O Decreto entra em vigor a partir de amanhã (30 de junho de 2020).

Publicidade

Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )