Revista Viver Goiás

Fake News: A vacina de coronavírus dos pets também serve para os humanos?

Vídeos e notícias estão circulando dizendo que já existe uma vacina para coronavírus para pets que funciona em humanos.

Você pode já ter se deparado com uma notícia ou vídeo dizendo que já existe uma vacina para o coronavírus e que essas já fazem parte da rotina dos pets. 

E sim, já existe uma vacina do coronavírus, porém, se ouvir por aí que ela age no vírus atual que circula em diversos países, pode ter certeza que essa é uma Fake News.

As vacinas abordadas na disseminação falsa dessas informações são as vacinas múltiplas (V8, V10, V12 e V14). Desde o início da vida do cachorro essas vacinas devem ser dadas para imuniza-lo contra mais de uma doença, entre elas o coronavírus. 

Para entender tudo isso e qual o motivo da vacina não ser eficaz em humanos, você precisa conhecer e saber o que exatamente é o coronavírus.

Primeiro, o que é o coronavírus? 

 

Existem diferentes tipos de coronavírus, e você vai descobrir a diferença entre eles. Antes, você precisa entender que o coronavírus é uma família viral, conhecida desde os anos 60. 

As subdivisões desse grupo são extensas, porém no momento é importante entender cinco delas: CCoV, FCoV, Sars-CoV-2, Sars-CoV e Mers-CoV.

CCoV (Gastroenterite)

 

Esse é o coronavírus canino. Ele causa uma infecção no intestino do cão e apresenta-se em sintomas como: febre acima de 40 graus, vômito, diarreia, sangue nas fezes, perda de apetite e outros.

FCoV (Peritonite Infecciosa – PIF)

 

A PIF é o tipo de vírus que atinge os gatos e, assim como o CCoV nos cães, infecta o intestino do felino. Os sintomas do coronavírus felino são os mesmos apresentados pela gastroenterite, porém o gato também pode apresentar convulsões.

Sars-CoV-2 (Covid-19)

 

A Covid-19 afeta os humanos e, diferente da CCoV e da FCoV, a Sars-Cov-2 causa um quadro respiratório muito parecido com a gripe. 

Seus sintomas são tosse, febre, dor na garganta e dificuldade para respirar. Há também casos de infecção sem apresentar nenhum sintoma.

Sars-CoV (SARS)

 

Esse é um vírus existente desde 2002 e que também apresenta os mesmos sintomas da Sars-CoV-2, podendo causar uma insuficiência respiratória em casos mais graves.

Mers-CoV (MERS)

 

A MERS foi identificada em 2012 e seus sintomas são: febre, mialgia, tosse e doença respiratória grave em grande parte dos casos. 

Por que a vacina dos pets não funciona em humanos?

 

Agora que você já conhece os diferentes tipos de coronavírus é possível entender o verdadeiro motivo da vacina não servir para os humanos: os vírus são diferentes. Isso significa que o coronavírus nos animais não é o mesmo que atinge os humanos. 

O coronavírus nos pets, por exemplo, não é transmitido para os humanos. Dessa forma, não há perigo do seu pet transmitir o vírus FCoV e CCoV para você.

Quanto ao Covid-19, ainda não existem estudos muito concretos, já que o vírus é novo no mundo.

Vacinas Múltiplas

As vacinas mencionadas nas Fake News são as vacinas múltiplas (ou vacinas polivalentes), voltadas para cães. Mais conhecidas como V8 e V10, elas protegem os cães de diversas doenças além da coronavirose.

Todas as vacinas múltiplas, de acordo com especialistas e com o Ministério da Agricultura, são de uso veterinário exclusivo e jamais devem ser utilizadas em humanos.

Até o momento ainda não existe uma vacina eficaz para a proteção do coronavírus felino. 

Como estão os estudos para uma vacina para humanos?

Apesar de a vacina para pets não ser eficaz para humanos, diversos testes clínicos estão sendo realizados para que seja encontrada uma prevenção para o vírus. A expectativa atual é de que as vacinas estejam prontas no início de 2021. 

Por enquanto a prevenção deve ser realizada com a higienização correta das mãos, uso de álcool em gel 70%, cobrir o nariz e a boca ao tossir ou espirrar, ventilação do ambiente e não compartilhar objetos pessoais. 

No momento, também é recomendado o isolamento social para diminuir a curva de propagação da doença.

Vacinação dos cães contra o coronavírus

 

As vacinas múltiplas em cães devem ser feitas anualmente e sempre em uma clínica veterinária de confiança. 

No início da vida do animal a aplicação deve ser feita a partir dos 45 dias de vida em 3 ou 4 doses seguidas com uma pausa de 21 a 30 dias entre elas.

Além das vacinas já mencionadas, é importante manter a saúde do seu pet sempre em dia com visitas frequentes ao veterinário para as demais vacinas ou cuidados necessários para o seu bichinho.

Suspeitou de algum sintoma? Leve seu pet ao veterinário

 

Caso seu pet apresente algum sintoma dos que mencionamos por aqui, leve-o imediatamente para um veterinário para que ele possa avaliar a situação do animal e evitar a contaminação de outros pets. 

No caso do FCoV e CCoV, os cuidados com o animal são para tratar os principais sintomas apresentados, porém não existe um medicamento específico. 

Já se tratando dos demais tipos de vírus, especialmente o Covid-19, tome os cuidados básicos com o pet durante o isolamento social e evite o contato com ele caso você esteja infectado e com suspeitas de estar com o vírus. 

Por se tratar de algo novo, ainda não há conclusões sobre a relação do novo coronavírus com o pet.

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Fake News: A vacina de coronavírus dos pets também serve para os humanos?

Você pode já ter se deparado com uma notícia ou vídeo dizendo que já existe uma vacina para o coronavírus e que essas já fazem parte da rotina dos pets. 

E sim, já existe uma vacina do coronavírus, porém, se ouvir por aí que ela age no vírus atual que circula em diversos países, pode ter certeza que essa é uma Fake News.

As vacinas abordadas na disseminação falsa dessas informações são as vacinas múltiplas (V8, V10, V12 e V14). Desde o início da vida do cachorro essas vacinas devem ser dadas para imuniza-lo contra mais de uma doença, entre elas o coronavírus. 

Para entender tudo isso e qual o motivo da vacina não ser eficaz em humanos, você precisa conhecer e saber o que exatamente é o coronavírus.

Primeiro, o que é o coronavírus? 

 

Existem diferentes tipos de coronavírus, e você vai descobrir a diferença entre eles. Antes, você precisa entender que o coronavírus é uma família viral, conhecida desde os anos 60. 

As subdivisões desse grupo são extensas, porém no momento é importante entender cinco delas: CCoV, FCoV, Sars-CoV-2, Sars-CoV e Mers-CoV.

CCoV (Gastroenterite)

 

Esse é o coronavírus canino. Ele causa uma infecção no intestino do cão e apresenta-se em sintomas como: febre acima de 40 graus, vômito, diarreia, sangue nas fezes, perda de apetite e outros.

FCoV (Peritonite Infecciosa – PIF)

 

A PIF é o tipo de vírus que atinge os gatos e, assim como o CCoV nos cães, infecta o intestino do felino. Os sintomas do coronavírus felino são os mesmos apresentados pela gastroenterite, porém o gato também pode apresentar convulsões.

Sars-CoV-2 (Covid-19)

 

A Covid-19 afeta os humanos e, diferente da CCoV e da FCoV, a Sars-Cov-2 causa um quadro respiratório muito parecido com a gripe. 

Seus sintomas são tosse, febre, dor na garganta e dificuldade para respirar. Há também casos de infecção sem apresentar nenhum sintoma.

Sars-CoV (SARS)

 

Esse é um vírus existente desde 2002 e que também apresenta os mesmos sintomas da Sars-CoV-2, podendo causar uma insuficiência respiratória em casos mais graves.

Mers-CoV (MERS)

 

A MERS foi identificada em 2012 e seus sintomas são: febre, mialgia, tosse e doença respiratória grave em grande parte dos casos. 

Por que a vacina dos pets não funciona em humanos?

 

Agora que você já conhece os diferentes tipos de coronavírus é possível entender o verdadeiro motivo da vacina não servir para os humanos: os vírus são diferentes. Isso significa que o coronavírus nos animais não é o mesmo que atinge os humanos. 

O coronavírus nos pets, por exemplo, não é transmitido para os humanos. Dessa forma, não há perigo do seu pet transmitir o vírus FCoV e CCoV para você.

Quanto ao Covid-19, ainda não existem estudos muito concretos, já que o vírus é novo no mundo.

Vacinas Múltiplas

As vacinas mencionadas nas Fake News são as vacinas múltiplas (ou vacinas polivalentes), voltadas para cães. Mais conhecidas como V8 e V10, elas protegem os cães de diversas doenças além da coronavirose.

Todas as vacinas múltiplas, de acordo com especialistas e com o Ministério da Agricultura, são de uso veterinário exclusivo e jamais devem ser utilizadas em humanos.

Até o momento ainda não existe uma vacina eficaz para a proteção do coronavírus felino. 

Como estão os estudos para uma vacina para humanos?

Apesar de a vacina para pets não ser eficaz para humanos, diversos testes clínicos estão sendo realizados para que seja encontrada uma prevenção para o vírus. A expectativa atual é de que as vacinas estejam prontas no início de 2021. 

Por enquanto a prevenção deve ser realizada com a higienização correta das mãos, uso de álcool em gel 70%, cobrir o nariz e a boca ao tossir ou espirrar, ventilação do ambiente e não compartilhar objetos pessoais. 

No momento, também é recomendado o isolamento social para diminuir a curva de propagação da doença.

Vacinação dos cães contra o coronavírus

 

As vacinas múltiplas em cães devem ser feitas anualmente e sempre em uma clínica veterinária de confiança. 

No início da vida do animal a aplicação deve ser feita a partir dos 45 dias de vida em 3 ou 4 doses seguidas com uma pausa de 21 a 30 dias entre elas.

Além das vacinas já mencionadas, é importante manter a saúde do seu pet sempre em dia com visitas frequentes ao veterinário para as demais vacinas ou cuidados necessários para o seu bichinho.

Suspeitou de algum sintoma? Leve seu pet ao veterinário

 

Caso seu pet apresente algum sintoma dos que mencionamos por aqui, leve-o imediatamente para um veterinário para que ele possa avaliar a situação do animal e evitar a contaminação de outros pets. 

No caso do FCoV e CCoV, os cuidados com o animal são para tratar os principais sintomas apresentados, porém não existe um medicamento específico. 

Já se tratando dos demais tipos de vírus, especialmente o Covid-19, tome os cuidados básicos com o pet durante o isolamento social e evite o contato com ele caso você esteja infectado e com suspeitas de estar com o vírus. 

Por se tratar de algo novo, ainda não há conclusões sobre a relação do novo coronavírus com o pet.

Publicidade

Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )